Resenha | Saga dos Reinos: O Vilão – Vol.3 – Josiane Veiga


Olá Quimeras, sei que sumir e os posts estão uma bagunça, porém confesso que ainda estou tentando me organizar com tudo que está acontecendo na minha vida, mas prometo que tudo irá se encaixar certinho e passarei mais tempo com vocês.

Vocês sabem como adoro os livros da Josiane Veiga, afinal sou um tanto suspeita para resenhar os seus livros, pois amo sua escrita, seu enredo e não poderia deixar de citar o fato dos aspectos feministas que ela tem no enredo ou seja amo tudo. Portanto devo confessar que neste livro não foi menos do esperado, já que ela utilizou vários aspectos que emocionam qualquer leitor -inclusive eu, coração de gelo­.

O vilão é mais um livro da Saga dos Reinos que é do mesmo universo de Esmeralda, porém que acontece anos depois, porém com o mesmo período da Duologia Destinados: Avassalador e Arrebatador. Quem leu poderá se livrar um pouquinho da saudade dos personagens dos livros anteriores, mas não deixando momentos divertidíssimos de Iwan.  Um livro onde podemos encontrar tanto rendição, amor e perdão, mas também podemos identificar alguns jogos de sátiras quanto a sociedade sobre o padrão de beleza e igualdade de gênero.

“Aquele homem não era um príncipe, e ela não era uma princesa. Seria ela uma bruxa? Seria ele um vilão?”

O Vilão
Autora: Josiane Veiga
Gênero: Romance Histórico e GirlsPower
Páginas: 218
Editora: Independente
E-book: Amazon
Nota: ❤❤❤❤❤  Amei

E-Book |
Sinopse

Seria o amor capaz de curar feridas tão profundas?
Quando o Rei Iwan de Masha herdou o trono, a lei que punia os bastardos pelos pecados de seus pais foi extinta. Por conta disso, Norman, um rapaz destruído pelos castigos anteriormente praticados contra si, é reconhecido como filho único do lorde mais abastado de Masha. Levado das masmorras até a nobreza, ele se torna o novo senhor de Nunemesse, a região mais quente dos reinos. Contudo, em si, tudo que restou foi o ódio. Anos e anos de apedrejamento, clausura e tortura o tornaram alguém seco e cruel. Nesse ínterim, Melissa, uma jovem ignorada e subjugada, é lhe dada em casamento. Porém, como a simplicidade do amor poderia competir com a maldade e a dureza de um coração tão perturbado?


Resenha
Norman era um bastardo, filho de uma prostituta de Bran que ficou grávida de um homem de Masha chamado Mahon, em que era um lorde no sul do reino. Em que perante todos os religiosos do tempo, aquilo era um pecado horrendo.

Sabia ter um bastardo na barriga, mas antes de ser um pecado – Como a religião ensinava – Aquela Criança era seu filho. Jurou protegê-lo

Mahon descobriu a gravidez e logo tratou de livrar daquela vida no ventre de sua mãe com várias sacolas de chás abortivos. Contudo a prostituta de Bran, jogou fora elas e fugiu buscando refúgio para ambos, em que teve o seu filho que nomeou de Norman, já que ele havia nascido um braiano como ela, porém com os tempos passaram e os traços começaram a aparecer, os olhos viraram esmeraldas como os olhos dos cidadãos de Masha e seu cabelo clarear em um tom de quase cobre. 
Abrigando-se numa aldeia afastada de tudo, no qual mentia para os aldeões que era uma viúva que atraiu muita generosidade, porém não durou muito, quando o Aran que era amigo de Mahon reconheceu a prostituta e os traços de seu amigo em Norman. 
Os sacerdotes a penitenciaram pelo adúltero e também pelo erro de ter dado à luz ao Norman, em que foi decapitada em frente dos olhos do menino e logo depois viu a sua mãe ser queimada e se isto não bastasse para uma criança de apenas oito anos de idade, ele foi levado para o Castelo de Nunemesse que ficou preso décadas na masmorra do castelo. 
O alastramento de uma peste nas cidades no sul do reino, levaram todo o seu progenitor e sua esposa como o herdeiro, a morte, fazendo que por lei do novo reinado de Iwan, os bastardos terem o mesmo direito que os herdeiros legítimos, fazendo que Norman assumisse a herança de seu progenitor. 
As décadas que ele passou dentro daquela masmorra era fogo para as lembranças de sua tormenta pessoal, fazendo com que o seu coração endureça e pense somente em se vingar de Aran. 
Aran, era um homem ambicioso, porém rico, em que sua única herdeira era uma menina chamada Melissa que diferente dele era uma pessoa bondosa que não ligava para os bens materiais, por ser sua única filha, já que sua esposa que era uma mulher de Masha morreu no seu parto. A herança de Mahon foi passado para Norman que acabou com os planos do homem, já que tentou diversas vezes casar sua filha com outros homens em troca de negócios. Infelizmente ela não era considera bonita, pois não fazia parte dos padrões de beleza e por isto fora dispensada diversas vezes e menosprezada. 

As pessoas são acostumadas a um padrão, mas nem por isso, uma mulher diferente do comum deixa de ser bela.

Norman tinha uma vingança em mente contra Aran pela morte de sua mãe, já que não seria suficiente a morte para ele, porém ele arrancaria tudo que ele tinha de valor seus bens, terras e depois mataria sua filha e o sogro, ficando apenas com o seu herdeiro. 

Punir inocentes é o que sempre ocorreu nos reinos. Incluindo a mim. Não há misericórdia em meu coração, e jamais haverá.

A resenha ficou maior do que o normal, mas acabei me empolgando. 
O vilão é narrado em terceira pessoa como normalmente é nos livros da Josi, porém sempre mudando os pontos de vistas, fazendo com que o leitor tenha uma visão geral de tudo. Os personagens foram criados com êxito sendo alguns com personalidades fortes, e devo ressaltar que a força das personagens feminina, não deixa desejar, já que acredito que esta seja uma marca registrada dos livros da autora. Apesar de acreditar que o Norman não é nenhum vilão, mas sim uma pessoa incompreendida e sofrida, afinal os traumas dele não foram tão leves e pelo fato de perder a única pessoa que amava de uma forma horrenda, além de toda vida sendo julgado por ser um erro e pecado é muito devastador. 

Ele era um vilão… eu também já fui um vilão. Mas, a mulher certa o mudou da mesma forma que a mulher certa me transformou. 

O enredo é cheio de intrigas, traições, paixões e também com cenas eróticas, mas nada exagerado ou vulgar, pois são totalmente românticas e bem escritas. O desfecho do livro deixa uma continuação para a saga, ou acredito nisto, pois ficarei muito ansiosa se houver, contudo todas as pontas e os questionamentos foram resolvidos no decorrer na história que ora faz odiar os pais de Norman e Melissa e ora faz amar os momentos que ambos tem juntos. 
Não poderia deixar de lado a personagem que gamei horrores, a mãe Preta que cuidou do pequeno, em que mostra ser uma mulher admirável, me lembrei muito da princesa Brione, será que é ela antecedente dela? 
Os livros da Josiane, não são apenas romances históricos melosos, como muitos generalizam, mas contém intrigas, sátiras os problemas que passamos atualmente e além de ser um livro de inspirações para mulheres, pois é cheio de mulheres guerreiras lutando por seus direitos e ideais. 

Me acompanhe nas redes sociais