Bela Quimera: Resenha | Até eu te possuir - Soraya Abuchaim

Resenha | Até eu te possuir - Soraya Abuchaim

1 de dezembro de 2016


Olá Quimeras, teremos resenha de "Até eu te possuir" da autora parceira Soraya Abuchaim que é o seu primeiro livro ou seja o primeiro livro de estréia dela. O livro é bastante intenso, pois trata de várias assuntos tensos como a depressão e a psicopatia. As minhas primeiras impressões é que seria um suspense parecido com a minha série favorita da televisão " Meu Segredo Obscuro", porém o livro supriu minhas expectativas com um final arrebatador. 

Ficha Técnica
Título: Até eu te possuir | Autora: Soraya Abuchaim | Editora: Ella | Páginas: 284| Compre aqui: Amazon e Editora | E-Book: Amazon |Adicione o livro no Skoob: Até eu te possuir 


Classificação:|

Sinopse
Johanna Dorne é uma mulher que perdeu todas as pessoas que amou. As tragédias de sua vida começaram com um acontecimento marcante quando ela tinha 13 anos.
Três décadas depois, ela se transformou em uma mulher solitária, confusa e inclinada à autocomiseração, que não consegue manter contato social com ninguém. Até conhecer Michel Brum, um homem charmoso e misterioso que a resgata de sua vida patética, devolvendo-lhe a felicidade há tanto tempo perdida. Só que Michel acaba mostrando que não é tão perfeito assim, e um segredo mortal jogará Johanna novamente em um abismo.
Resenha
Alerta: O livro pode provocar sensações extremas como ódio, agonia, angústia e desespero. Você está preparado psicologicamente para ler “Até eu te possuir”, pois este livro irá possuir tudo que você tem bom.

O que você faria se várias tragédias aconteceram em sua vida? Se isolaria? Se manteria no recluso para protegê-los de si mesma? 

Johanna Dorne, uma mulher que passou por várias tragédias e enumerou as piores que acontecera na sua vida com os acontecimentos e descobertas que antes parecia que sua vida era um tanto perfeita era apenas ilusão da mesma. 

No seu aniversário de treze (13) anos que fora feito no estilo de festa quinze (15) anos, pois a mesma sentia que queria fazer diferente, já que ela se considerava uma mocinha e não seria necessário esperar dois anos para realizar aquela festa enorme e decidiu que seria com seus de treze (13) anos. 

Tudo estava indo em mil maravilhas com Johanna, os preparativos, sua relação de mãe-e-filha, afinal ela vivia a vida perfeita que causava inveja a maioria das pessoas, porém tudo começou a desandar na sua festa de treze (13) anos, no qual ela nunca se esqueceu depois desta festa vários acontecimentos se sucederam e sua vida perfeita havia se tornado uma vida condenável, mas com o passar do tempo ela tentava seguir em frente, perante aquelas tragédias que sucederam, mas sempre tudo retornava aquela vida condenável que ela tinha e que tanto tentava luta. 


Em plenos seus quarenta (40) anos, ela se tornou uma mulher totalmente solitária que vivia a mesma rotina fazia décadas e não se cansava daquilo, poderia até sentir cansada daquela rotina, porém não tinha força para mudar, afinal o seu dia era o mesmo de sempre com as mesmas coisas. 

Um dia inabitual de sua vida rotineira, ela encontra Michel Brum, um homem charmoso e de certa forma misterioso que se apresentou como contador e depois desse evento sua vida que antes era totalmente rotineira, estava virando totalmente rara, mas com os indícios que ela ainda existia, porém quando começou um relacionamento com Michel, o cara que lhe tirava da mesmice e fazia a sua vida ter um pouco de cor e aquilo poderia parecer o paraíso para todas que sonham em achar o cara perfeito, porém não para Johanna, afinal ela temia, pois o seu passado não era tão brando quanto queria e temia que fosse a causadora de alguma por um incidente que houvera em sua vida.

Aquele homem estava fazendo minha cabeça e eu mal dava conta do quanto estava no seu poder.

Até eu te possuir é um livro denso, pois ele trata de obsessão e depressão que é bem pesado e como a vida de uma pessoa pode se tornar terrível quanto o psicológico não está tão sano, afinal Johanna passou por vários acontecimentos que muitas pessoas poderiam julgar o seu modo de vida, já que a “história de vida” de ambas não é a mesma. Confesso que sentir muita raiva da protagonista que se submetia a várias coisas que nunca me submetia e sentia vontade de entrar no livro e brigar com ela, mas aí está aquela velha “História de vida” que me fez entender as suas razões. 

O enredo é dividido entre primeira e terceira pessoa, pois quando está sendo contado em primeira pessoa que é pela Johanna mostra o seu presente e o que aconteceu nele e seus pensamentos que me fizera dar algumas risadas e pensar em como ela não ligou para esse pequeno detalhe, pois confesso sou um pouco, talvez, muito paranoica. E na terceira pessoa conta o seu passado que muitas vezes são anos aleatórios que conta seu aniversário, suas novas amizades, seus namorados, suas tentativas e as consequências de várias de suas tentativas. Os personagens foram criados com êxito, já que seria totalmente contraditório uma pessoa que passou tudo que ela passou ser a Barbie, o que quero dizer é que as personalidades dos personagens deixam características do que a autora quis passar. 


O suspense foi perdido um pouco por causa da sinopse que pode ter entregado de bandeja, o que me deixou bastante triste, já que o interessante é do suspense é suspeitar até mesmo da sombra da protagonista e do antagonista, porém a forma que ela desenvolveu o livro e os capítulos mudando as visões e contando o passado e o presente faz que você crie um certo apego com a Johanna e entenda suas razões e o que fez para tentar viver de novo, apesar que acredito que ela fizera fora sobreviver como muitas pessoas. O desfecho do livro definitivamente gostei bastante apesar que tinha uma ideia, já que a autora colocou muitas dicas no passar das páginas do que poderia acontecer e o que possa ter acontecido. A única ressalva que tenho a dizer foi sobre a sinopse, já que a capa e a diagramação estão impecáveis junto com a revisão que não encontrei nenhum erro e caso tiver algum teve ter passado em branco. Se você gosta de suspense psicológico com sociopatas, o livro desse lhe agradar bastante, afinal tem um ou uma sociopata que é obcecado pela Johanna e você possa gostar como gostei.


2 comentários:

  1. Oi Ingrid.

    Por isso que eu não gosto de ler sinopse, às vezes nos entrega de bandeja o que eu queria descobrir apenas quando estivesse lendo o livro,o livro tem uma premissa muito boa e estingante.

    Beijos,
    www.divagandopalavras.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Aline, Tudo bem?

      Sim! Não gosto de ler sinopse por esta razão, apenas leio quando estou interessada por algo que acontecerá na série.

      Obrigada! E seja bem vinda ao blog

      Excluir

Tecnologia do Blogger.
ga('set', 'userId', {{USER_ID}}); // Defina o ID de usuário usando o user_id conectado.